Curso Rápido de Iluminação: Desenho!

Ao pensarmos em iluminação, muitas vezes nos deparamos com uma visão mística e antiga quando ouvimos falar sobre o desenho da iluminação. No entanto, essa complexidade pode ser simplificada.

A essência do desenho da iluminação pode ser resumida em uma frase: o desenho é tomar decisões.

Quando um desenhador de iluminação se propõe a criar o projeto para um show, produção teatral ou clube noturno, ele precisa compreender que a luz tem funções específicas e requer uma seleção adequada de componentes para cumpri-las.

A função primordial da luz é proporcionar iluminação. Isso pode parecer óbvio, mas às vezes é fácil esquecer quando nos deparamos com uma vasta gama de acessórios de iluminação. Um desenho de iluminação que não oferece a iluminação adequada é como uma cadeira sem assento – não importa quão bonita seja, é essencialmente inútil.

Além de iluminar, a luz também define o espaço. Isso é claramente visível em shows ao vivo ou no teatro, onde o palco é iluminado enquanto a plateia permanece na escuridão. De maneira mais sutil, um desenhador de iluminação pode criar a impressão de dois lugares distintos no palco simplesmente através do isolamento por meio da luz.

Essa habilidade de definir o espaço também se aplica fora do palco. Por exemplo, em uma boate, a pista de dança pode ser iluminada com cores brilhantes, enquanto outras áreas são isoladas por “ilhas” de luz. Em uma casa assombrada, exposições assustadoras são destacadas por luzes pontuais enquanto os visitantes percorrem a escuridão.

Estabelecer o clima certo pode ser confuso e desafiador, especialmente para iniciantes. Uma técnica útil é observar imagens que evocam um estado de espírito semelhante e analisar a luz utilizada pelo artista. A luz é brilhante ou suave? A cena toda é iluminada ou existem diferentes áreas com iluminação distinta? São usadas cores vibrantes ou tons mais suaves? Desenhistas profissionais observam tudo o que veem e criam um catálogo mental que podem consultar para cada tipo de cena ou atmosfera que desejam criar.

Cada vez que você decide onde colocar uma luz, está tomando uma decisão de desenho, mesmo que não esteja ciente disso. Certifique-se de que a luz sirva todas as funções mencionadas anteriormente.

Quando falamos de luz laser, os primeiros lasers foram desenvolvidos com materiais pouco comuns e luzes de alta intensidade, tornando os equipamentos caros para a maioria das pessoas. Atualmente, o desenvolvimento de lasers de diodo resultou em uma grande quantidade de equipamentos mais acessíveis, desde ponteiros laser até efeitos especiais de iluminação.

Os diodos laser utilizados para criar efeitos especiais de iluminação produzem feixes de luz intensos com padrões geométricos surpreendentes, especialmente quando projetados em uma atmosfera saturada de neblina gerada por máquinas de fumaça. Isso pode criar enormes feixes de luz ou “túneis de laser” ao redor dos artistas. Espelhos motorizados podem ser adicionados para simular efeitos de iluminação inteligente e aumentar o impacto geral do laser.

Os lasers são classificados de acordo com a quantidade de energia que produzem e o perigo biológico de suas emissões. Devido à alta potência de muitos equipamentos a laser modernos, o raio que emitem pode ser prejudicial aos olhos se visto diretamente.

Portanto, é essencial posicionar o equipamento de forma que o público, clientes de uma boate ou espectadores não olhem diretamente para o feixe de luz. Colocar o laser nos cantos do espaço ou apontá-lo para baixo em um ângulo acentuado pode evitar que as pessoas olhem acidentalmente para o feixe.

Esperamos que essas dicas sejam úteis para você e que você se sinta motivado a aplicá-las para aproveitar ao máximo seu equipamento usando algumas das técnicas de desenho que compartilhamos.

Post's

RECENTES